domingo, 22 de novembro de 2009

Conte até 10 . . .


Conta uma fábula que o pai de um jovem de temperamento difícil lhe deu um saco de pregos, um martelo e uma ordem: Cada vez que perdesse a paciência deveria pregar um prego na cerca dos fundos da casa.
No primeiro dia, foram 37, mas, com o tempo, o número foi diminuindo, porque o rapaz foi percebendo que era melhor controlar os impulsos do que pregar pregos. Até que chegou o dia em que, orgulhoso, disse ao pai que não precisava mais pregar, porque tinha aprendido a se controlar. 
O pai então lhe disse para retirar um prego a cada dia que se mantivesse calmo e controlado. 
Após um tempo, o jovem contou ao pai sua grande vitória: Não havia mais pregos na cerca. 
O pai sorriu e levou o filho aos fundos da casa. Observaram juntos a cerca e o pai perguntou:
-E agora, o que você vai fazer para apagar as marcas deixadas pelos pregos?

"Palavras sempre deixam marcas, e muitas vezes, não nos orgulhamos delas."

 
Procure sempre contar até 10!

Revista Vida Simples

5 comentários:

Fernando Christófaro Salgado disse...

Olá Sara,

Este é o tipo de texto que eu gosto bastante. Transmite muita coisa através de poucas linhas.
Realmente temos que aprender a nos controlar e contar até 10, 20, 30 ou o quanto for preciso, mas as vezes é difícil manter a paciência e não ceder aos impulsos nervosos...
Uma vez deixadas marcas procuremos rapidamente maneiras de apagá-las!

Uma boa semana pra ti!

Abraços,

Fernando C. Salgado.

Alessandra disse...

Excelente!
Este é um dos itens que fundamentam meu estilo de ser.

Bjocas,
Ale
PS: Não sei pq, mas não etou recbendo as atualizações do eu blog!

Patricia Mascarenhas disse...

Que texto lindo! Tanto que dizer, e que repensar... Acho que vou tentar ter sempre mais paciencia...
As vezes nosso maior esforco nao e' suficiente!

Bjs.

A Magia da Noite disse...

as nossas atitudes deixam marcas na alma, pegadas no chão, marcas no rosto, que nem o tempo apaga, ponderar será sempre um caminho a seguir.

Cassiopeia disse...

Saludos!
Que hermoso el camino que me trajo aquí, para leer tan atinado post.
Si contáramos más... pelearíamos menos!
Un abrazo!