sexta-feira, 4 de fevereiro de 2011

Voz Silenciosa


"O único tirano que aceito nesse mundo é
a pequena voz silenciosa que há dentro de mim."

Mahatma Ghandi

4 comentários:

j maria castanho disse...

Submissa Alucinação de Regresso à Antiguidade

Se procurar antecedesse a voz e suprimisse a distância
Então ninguém poderia duvidar de meu ver-te alucinado,
Ver-te a todo o instante como em todo e qualquer lado:
Que a magia acontece e permanece muito para lá da infância.

Tenho a sorte de pensar por imagens e tu és o só o quadro
Preferido, a foto permanente do meu ambiente de eficácia
Onde me desenvolvo como palavra de brincar à solta no adro
A rodar o pião ou a virgular entre os ledos verbos da audácia.

Não nego, em momento nenhum, que veem nisto loucura
Como se insano estado fosse este ao querer uma realização
Que acontece se se entretece a vontade ansiada da alma pura,
Com as mais finas linhas e veias tecidas que nascem no coração…

Porém, da Babilónia a esposa do patriarca me sorri enigmática
E eu, perdido por tamanha magia, torno-me poema sem lição
Nem regra, nem forma explícita, ou limitação doutra gramática!

Jorge disse...

Não acho que seja tirania, nós é que somos rebeldes.

Anjo mineira, um doce beijo e um fim de semana de muita luz!

SARA disse...

Amigo J Maria;
Lindas palavras.
Obrigada pela Visita!

SARA disse...

Jorge Querido;
As vezes somos muito exigentes com nós mesmos. E muitas vezes não aceitamos ou correspondemos à exigência alheia.
Bjs.