domingo, 18 de outubro de 2009

NORMOSE


"Lendo uma entrevista do professor Hermógenes, 86 anos, considerado o fundador da ioga no Brasil, ouvi uma palavra inventada por ele que me pareceu muito procedente: ele disse que o ser humano está sofrendo de normose, a doença de ser normal. Todo mundo quer se encaixar num padrão. Só que o padrão propagado não é exatamente fácil de alcançar. O sujeito "normal" é magro, alegre, belo, sociável, e bem-sucedido. Quem não se "normaliza" acaba adoecendo. A angústia de não ser o que os outros esperam de nós gera bulimias, depressões, síndromes do pânico e outras manifestações de não enquadramento. A pergunta a ser feita é: quem espera o que de nós? Quem são esses ditadores de comportamento a quem estamos outorgando tanto poder sobre nossas vidas? Eles não existem. Nenhum João, Zé ou Ana bate à sua porta exigindo que você seja assim ou assado. Quem nos exige é uma coletividade abstrata que ganha "presença" através de modelos de comportamento amplamente divulgados. Só que não existe lei que obrigue você a ser do mesmo jeito que todos, seja lá quem for todos. Melhor se preocupar em ser você mesmo. A normose não é brincadeira. Ela estimula a inveja, a auto-depreciação e a ânsia de querer o que não se precisa. Você precisa de quantos pares de sapato? Comparecer em quantas festas por mês? Pesar quantos quilos até o verão chegar? Não é necessário fazer curso de nada para aprender a se desapegar de exigências fictícias. Um pouco de auto-estima basta. Pense nas pessoas que você mais admira: não são as que seguem todas as regras bovinamente, e sim aquelas que desenvolveram personalidade própria e arcaram com os riscos de viver uma vida a seu modo. Criaram o seu "normal" e jogaram fora a fórmula, não patentearam, não passaram adiante. O normal de cada um tem que ser original. Não adianta querer tomar para si as ilusões e desejos dos outros. É fraude. E uma vida fraudulenta faz sofrer demais. Não sou filiada, seguidora, fiel, ou discípula de nenhuma religião ou crença, mas simpatizo cada vez mais com quem nos ajuda a remover obstáculos mentais e emocionais, e a viver de forma mais íntegra, simples e sincera. Por isso divulgo o alerta: a normose está doutrinando erradamente muitos homens e mulheres que poderiam, se quisessem, ser bem mais autênticos e felizes."

Martha Medeiros - Publicado em 05/08/2007 - Jornal Zero Hora - Porto Alegre RS

3 comentários:

carol disse...

Concordo inteiramente com o texto da Martha, mas o mundo está nessa e é muito fácil ir contra o fluxo quando você de várias formas é independente, quando você depende dos que se acham normais ir contra fluxo é remar sozinha. Infelizmente. Pode parecer um pouco amargo o que estou dizendo, mas é assim que lamentavelmente tenho visto as coisas acontecerem.
Vou te dar um exemplo só: todos falam que hoje em dia é fácil ter 40 anos enxuta, linda e plena profissionalmente. Este discurso é feito por quem? Por quem está vivenciando um momento legal, bem financeiramente, quem pode sustentar uma boa academia, tem grana para um botox se quiser e no trabalho está bem empregada.
Vai experimentar procurar emprego, mesmo com um baita currículo depois dos 40 anos.
O mundo é bonito e correto qdo vemos de um certo patamar, mas no dia a dia realmente as pessoas estão seguindo regras absurdas porque remar está sendo um exercício e tanto sem muitos resultados.
Acabei rezando um terço por aqui. So sorry... rsrs
bjos

ஜ♥ Sara ♥ஜ disse...

Oi Carol!
Você está certa...
Infelizmente hoje de um modo geral as pessoas dão mais valor ao Ter do que ao Ser...
Pena que nada é eterno, muito menos um corpinho sarado e uma pele de pêssego né?
Adorei a sua visita.
Um Abraço.

carol disse...

É verdade, se as pessoas entendessem isto saberia o quanto são valorosas. è a tal da inversão de valores. rsrsrs

Obrigada pela visita.Eu vou voltar com certeza.
Quando quiser aparece lá no Café, traz o papo que eu te dou um cafézinho.
bjs meus